Gestão Ambiental

ISO14.001 – SGA

A Companhia conta com um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) certificado na Norma da International Organization for Standardization – ISO 14.001:2015 na maior parte de suas unidades e mantém um canal aberto ao público interno e externo, por meio da Linha Verde. Entre suas unidades de negócio, a CSN possui Certificado da ISO 14.001:2015 em:

  • Mina de Casa de Pedra (Congonhas, MG)
  • CSN Paraná (Araucária, PR)
  • CSN Porto Real (Porto Real, RJ)
  • Mina da Bocaina (Arcos, MG)
  • Prada Distribuição (Mogi das Cruzes, SP)
  • Sepetiba Tecon (Itaguaí, RJ)
  • Usina Presidente Vargas (Volta Redonda, RJ)

As demais unidades estão em processo de implantação do SGA e vêm seguindo um programa corporativo para seu progressivo avanço, de acordo com as diretrizes da ISO 14.001:2015.

A organização também atua de forma preventiva, uma vez que conhecer os impactos, controles e riscos inerentes de cada etapa da operação facilita o atendimento das demandas de mercado, além de garantir a conformidade legal das atividades e a segurança operacional do processo.

A CSN vem desenvolvendo um mapeamento constante de stakeholders e, desde 2012, utiliza critérios de mapeamento dos impactos ambientais, sociais e econômicos de acordo com as diretrizes do Global Reporting Initiative (GRI), para todas as suas operações. Os dados e indicadores obtidos nesse processo permitem acompanhar o desempenho e avaliar sua exposição a riscos socioambientais e oportunidades futuras.

 

Conheça mais sobre os investimentos em proteção ambiental nos nossos relatórios.

 


Energia

Sendo uma grande consumidora de energia do país, a CSN possui uma Gerência Corporativa responsável pela gestão de participações em energia, que avalia o consumo, identifica oportunidades e faz projeções de consumo e compra de energia.

Desde 1999, a Companhia vem investindo em projetos de geração de energia elétrica, visando garantir grande parte do seu consumo anual. Os seus ativos nesse segmento são a Usina Hidrelétrica de Itá (SC), a Usina Hidrelétrica de Igarapava (MG), a Central Termoelétrica, que reaproveita gases do processo siderúrgico, e a Turbina de Recuperação de Topo (TRT), que operam juntas dentro da Usina Presidente Vargas – UPV, em Volta Redonda (RJ).

A diversificação da matriz energética foi a impulsionadora do projeto conhecido como TRT, a partir do aproveitamento da energia cinética existente nos gases gerados no Alto-Forno 3. Essa alteração de processo vem beneficiando a Companhia desde 2014 com o aumento da geração própria e redução dos seus impactos ambientais, uma vez que essa energia cinética opera via pressão do gás, a partir do Alto-Forno 3.

Todos os ativos de energia da CSN têm capacidade de gerar algo muito próximo à quantidade de energia elétrica demandada por todas as unidades industriais, representando um custo evitado bastante atrativo, com o não pagamento da demanda pela utilização da rede externa de distribuição, dos encargos setoriais e da própria tarifa de energia da distribuidora local.

 


Água

A CSN vem priorizando a gestão de recursos hídricos internamente, avaliando o uso eficiente nas suas operações para aumentar o reúso e a recirculação. Também participa de diversas discussões externas promovidas por entidades de classe, ONGs, comitês de bacias, como o Comitê de Bacias do Médio Paraíba do Sul, Comitê de Integração das Bacias do Rio Paraíba do Sul, Conselho Estadual de Recursos Hídricos do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Recursos Hídricos, Participação das revisões de Normas da ABNT e Estudos setoriais do Aço Brasil, principal representante do segmento no país. O planejamento estratégico da gestão visa:

 

  • Prevenir ou reagir às crises operacionais resultantes da indisponibilidade, fornecimento e/ou qualidade da água;
  • Assegurar aos investidores e mercados o esforço que a CSN vem fazendo para garantir disponibilidade hídrica para as operações e reduzir custos relacionados à água;
  • Confirmar seus valores corporativos baseados em desenvolvimento sustentável e equitativo ao contribuir para o bem-estar das bacias hidrográficas, ecossistemas e comunidades nas quais a Companhia está inserida;
  • Garantir sua licença para operar.

 

Das fontes hídricas significativamente afetadas pelas atividades da CSN, seja por captação seja descarte, nenhuma está localizada em área protegida. A Companhia mantém um rígido sistema de mensuração da qualidade das águas para o seu retorno ao meio ambiente, de modo que a qualidade da água devolvida é superior à captada. Não foram registrados vazamentos significativos em nenhuma das unidades da CSN em 2016 ou 2017.

  • 94% da água usada nos processos da UPV é reutilizada;
  • 5% da água é devolvida ao rio Paraíba do Sul em qualidade superior à captada.
  • O consumo real é de menos de 1%, resultado da evaporação no processo siderúrgico;
  • Possui 35 estações de tratamento de efluentes de água;
  • Monitora em 30 km a qualidade da água do rio Paraíba do Sul;
  • Reúsa 38 mil litros de água por segundo e economiza volume suficiente para abastecer a região metropolitana do Rio de Janeiro.

Biodiversidade

 

Parte das unidades da CSN está localizada em regiões que possuem áreas protegidas, tais como reservas legais, áreas de preservação permanente e reservas particulares do patrimônio natural. A CSN possui proposta de acompanhamento e definição de elementos orientadores para produção e organização de informações e dados relacionados à biodiversidade, assegurando a melhoria contínua na gestão do conhecimento.

A Gestão Territorial do Médio Paraíba do Sul, por exemplo, prevê mapeamento de uso e ocupação do solo da bacia do médio Paraíba do Sul – localizado no Rio de Janeiro, identificando áreas prioritárias para recuperação e restauração ambiental, totalizando 6.426 km² com análise das imagens de satélite usadas para estruturação de banco de dados.

Próxima às operações de cimento e siderurgia em Volta Redonda (RJ) está situada a Área de Interesse Ecológico (ARIE) Floresta da Cicuta, com 131,28 hectares de bioma Mata Atlântica. Além disso, a CSN Mineração possui uma área de Reserva Legal em Congonhas (MG) e em Ouro Branco (MG). O bioma predominante dessa reserva é a Mata Atlântica. Além disso, possui uma Reserva Particular do Patrimônio Natural em Queluzito (MG). Nessas áreas, são encontradas espécies como ipê-amarelo, cedro-rosa, candeia, copaíba, ingá, jequitibá e canela.

Conheça mais sobre esse tema nos nossos relatórios.


Outras Informações Relevantes

EM CONSTRUÇÃO.